Sobre lealdade

Há tempos que tenho pensado sobre lealdade. As pessoas cobram lealdade, fidelidade e amizade a torto e a direito. E como cobram. Mas nem a lealdade e nem a fidelidade e a amizade são passíveis de cobrança. Para começar, a meu ver, principalmente a lealdade, é uma questão de princípios e de caráter. Ou a pessoa tem ou vive sem. A amizade vem junto. Não há nada mais prazeroso do que ter bons amigos. E não há nada que doa mais do que ser traído por um amigo. É como ser retalhado a punhaladas por um irmão. A gente sonha com isso. Acorda pensando no assunto e costuma se perguntar por qual motivo nunca desconfiamos de tal falta de caráter. É difícil perdoar. Mas o mais difícil é quando o pedido de perdão nunca chega.

Alguns traem por covardia, outros por caráter, outros por princípios, outros por egoísmo e outros por um pouco de cada. E na maioria dos casos a traição só vem à tona porque um outro ser resolve te contar toda a verdade. Mas também dá para sacar qual é a do seu "amigo", em alguns casos. O que quero dizer aqui é que lealdade é uma via de mão dupla. Não se pode cobrar aquilo que não se oferece. E lealdade também é dizer ao seu amigo que ele errou, mas que é possível consertar. Lealdade é proteger o seu amigo do sofrimento até o último suspiro.

Lealdade é não esperar ele dar as costas para falar umas boas verdades sobre ele. Lealdade é virar o mundo para tentar encontrar um caminho para o seu amigo seguir. Lealdade é não dissimular, é não fingir sentimentos que não existem, é não fazer o seu amigo acreditar que você realmente gosta dele, quando no fundo, não se importa tanto assim. Lealdade é ser honesto com os outros, mas antes de tudo, ser honesto consigo mesmo. Porque o seu telhado também pode ser de vidro e um dia, isso não é praga, mas uma constatação, tudo o que você fez para tentar se dar bem, vai te atingir como um raio. E somente você será capaz de entender os motivos de estar passando por tudo isso.

2 comentários:

Maria Carolina Freitas 22 de abril de 2011 11:25  

Quando há covardia, falta de caráter, egoísmo, ou um pouco de cada, a pessoa não é capaz de reconhecer as coisas que faz/fez. Nem quando seu telhado de vidro despedaça e cai em sua própria cabeça.

Rudy 4 de maio de 2011 10:42  

Lealdade entre amigos é uma coisa rara. Não porque é díficil, e sim porque os verdadeiros amigos são poucos. É clichê mas é a verdade.

Nada melhor do que ter verdadeiros amigos para conversar, rir e às vezes quebrar a cabeça em problemas.

Quem vive sem um amigo entra na solidão.

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista. Ardida. Gosta de livros, música, Mafalda, São Jorge, sorvete, corrida e bicicleta. Canta sozinha na rua e conta helicópteros no céu.

Nosso Cortiço

Um blog para compartilhar aquilo que nem sempre há pessoas para compartilhar.

Outros cortiços

Quem perde tempo comigo