Pobre Macabéa

Relendo Clarice Lispector, senti um soco no estômago:

"Escrevo porque sou um desesperado e estou cansado, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse a sempre novidade que é escrever, eu me morreria simbolicamente todos os dias. Mas preparado estou para sair discretamente pela saída da porta dos fundos. Experimentei quase tudo, inclusive a paixão e o seu desespero. E agora só quereria ter o que eu tivesse sido e não fui." -A Hora da Estrela

1 comentários:

Gabriela Yamada 6 de junho de 2010 21:25  

"Eu me morreria simbolicamente todos os dias". É a melhor descrição que uso quando me perguntam "mas por que você gosta tanto de escrever?".

Toda vez que leio Clarice, sinto como se ela tivesse lido minha alma. Você não sente isso também?!

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista. Ardida. Gosta de livros, música, Mafalda, São Jorge, sorvete, corrida e bicicleta. Canta sozinha na rua e conta helicópteros no céu.

Nosso Cortiço

Um blog para compartilhar aquilo que nem sempre há pessoas para compartilhar.

Outros cortiços

Quem perde tempo comigo