Apostas no Brasileirão

Não gosto de apostas. Não gosto porque não gosto de perder. Sempre fui assim. Desde criança, quando tinha os campeonatos na escola ou na natação, sempre dava um jeito de não ir. Fugia mesmo. Dia desses comentei isso com os meus irmãos. Assistíamos um vídeo de quando um deles, o do meio, jogava tênis aos dez anos (hoje ele tem 33) e sempre jogava bravo e ficava nervoso com os erros... jogava a raquete no chão, xingava e minha mãe morria de vergonha. Quando fui brincar com ele sobre a braveza, meu irmão logo me respondeu: mas eu fui o único nessa casa que sempre teve coragem de competir. É verdade!!!!
Há quase um mês meu marido veio me perguntar se neste ano apostaríamos sobre quem seria o campeão do Brasileirão. No ano passado eu não apostei e agora ele insiste novamente. Com o vai-e-vem da briga para conseguir ficar ao menos no G4 pensei em apostar no São Paulo - apesar de não gostar desse time - porque ele é bom, fazer o que!!!.É que quando meu marido propôs a aposta o Palmeiras ainda estava na liderança, mas já começava a dar sinais da queda. Mas, como não gosto dessa brincadeira, resolvi ser sincera e logo lhe disse: "Não gosto de apostar." Pois deveria ter apostado porque acho que o São Paulo não vai amarelar, assim como aconteceu com o Palmeiras. Amarelou, pipocou, perdeu a liderança e agora está lá, tentando dar um jeito de se levantar... Acho que pelo menos ganharia umas boas cervejas. Mas, confesso, que se não for o Palmeiras, prefiro que seja o Flamengo. Prefiro os cariocas aos bambis.

1 comentários:

Carol 18 de novembro de 2009 13:17  

Não estava encontrando o endereço do blog, mas depois consegui. Superlegal o seu blog... Gostei do nome também... Vou adicionar no meu e acompanhar...
Beijos,
Carol.

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista. Ardida. Gosta de livros, música, Mafalda, São Jorge, sorvete, corrida e bicicleta. Canta sozinha na rua e conta helicópteros no céu.

Nosso Cortiço

Um blog para compartilhar aquilo que nem sempre há pessoas para compartilhar.

Outros cortiços

Quem perde tempo comigo