Se todos os espetinhos fossem iguais a você, ó Dja´s

Antes mesmo de morar em São Paulo, eu já conhecia o espetinho do Dja´s. Sempre tive tino para botecos pés-sujos, porém limpinhos. Não sou dada a locais glamurosos. Tá certo que não tenho muito dinheiro para tamanha pompa, mas um bom boteco é insubstituível, que me perdoe o Alex Atala. Mas voltando ao Dja´s, é uma portinha ali na rua Rosa e Silva, a meio quarteirão do minhocão, numa bifurcação. Um dos lados da bifurcação é um beco sem saída. Mas isso não tem nada a ver com o Dja´s. Foi só para tentar traçar um cenário melhor de onde ele está localizado.

O Dja´s fica a meio quarteirão da casa da minha madrinha, que sempre me abrigou quando eu ainda era uma desabrigada na Capital. Por isso, o meu amor pelo Djalma. Sim, ele chama Djalma. Você deve estar pensando "óbvio que é Dja´s de Djalma." Mas não é tão óbvio assim. Poderia ser de Dejair, por exemplo. Ou Djanilson.Vai saber.

Senhor e senhora Dja´s: de jaleco e tudo
Dia desses, pela primeira vez, resolvi bater um papo com o Djalma enquanto ele assava meus quatro espetinhos. A churrasqueira fica na calçada mesmo, assim como as mesas. Pedi uma cerveja e começamos a prosa. Assunto importante antes de vocês saberem o que conversamos: a cerveja está sempre, sempre mesmo, trincando. Uma beleza.

Bom, Djalma e a mulher estão naquele ponto há 13 anos. Ele já foi de tudo um pouco no setor "restaurantes, botecos e afins." De garçom de churrascaria a gerente de casa de massas. Como empreendedor, também já tinha tentado outras coisas, mas foi no Dja´s Grill que encontrou a chave do sucesso.

O espetinho-pé-sujo-mais-limpinho-de-São-Paulo só não funciona aos domingos. Djalma trabalha na companhia da esposa - que não quis muito papo comigo e, por isso, não sei o nome dela. Eles são casados há 13 anos. Pergunto se eles moram longe esperando que venha uma resposta afirmativa. Não, eles moram do outro lado da rua. Pergunto quem são os clientes com o intuito de descobrir se são da vizinhança ou se são como eu, que saem da região da Paulista para comer espetinhos por lá.

Nessa hora a Senhora Dja´s faz questão de responder que os clientes delas saem até da Vila Mariana para comer lá e são médicos, advogados e tem ATÉ empresários. A vizinhança, segundo ela, não é o que move o negócio, diz com desdém.

Minha cerveja acabou. Meus espetinhos ficaram prontos. Pedi para levar para viagem. Uma tulipinha, um paio, uma kafta e um frango. A tulipinha ele não cobrou porque "estava muito mirrada." Tudo ficou R$ 14,50. Acho que eles aceitam cartão, mas paguei em dinheiro.

Não quero transformar o Dja´s num lugar turístico, mas se você gosta de um bom espetinho com cerveja gelada e com preço camarada - o que é raro em São Paulo - melhor lugar não há. Ah, se todos os espetinhos fossem iguais aos seus, ó Dja´s.

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista. Ardida. Gosta de livros, música, Mafalda, São Jorge, sorvete, corrida e bicicleta. Canta sozinha na rua e conta helicópteros no céu.

Nosso Cortiço

Um blog para compartilhar aquilo que nem sempre há pessoas para compartilhar.

Outros cortiços

Quem perde tempo comigo