Segunda opinião

Há 15 dias não corro por ordens médicas. Desconfiada que a gravidade poderia ser muito mais amena do que minha dor mostrava, resolvi procurar um outro médico. O primeiro perguntou onde doía. "No joelho direito e no pé direito também." Aqui? "Isso, aí mesmo." É uma tendinite no joelho. A minha salvação, então, dependia de dez dias, ao menos, de repouso absoluto, três remédios diferentes três vezes por dia e, para completar, uma injeção, no jo-e-lho, para aliviar a dor. Um pouco desinformada no momento, resolvi me informar depois da injeção, mas já era tarde. Descobri que esse tipo de medicamento é aplicado em atletas de alta performance (àqueles que precisam disputar uma prova e aparecem com uma lesão) e mesmo almejando ser a Maria Zeferina, mas usando tênis e correndo nas ruas e não nos canaviais, estou longe de ser uma atleta de alta performance. Corro de 5 a 7 km, em 45 minutos e só. Estou podre depois disso e só penso em comer depois. Bom, desconfiada, decidi procurar outro médico, também especialista em medicina esportiva, mas também acupunturista. Nada de remédios, apenas maneirar no treino, algumas sessões de acupuntura e pronto. Estou liberada para voltar a correr por aí, desde que tenha parcimônia no treino. Entre outros pequenos problemas, o meu foi a falta de alongamento decente. Suspendi as medicações. Um freela que fiz para uma revista da Abril dia desses falava exatamente sobre a corrida, que muitos consideram ser o esporte que mais causa lesões. Mas como explicar que há ultramaratonistas que nunca sofreram nada? A verdade é que as vezes o condicionamento físico está excelente, mas os músculos ainda não. Foi o que aconteceu comigo. Muito coração e pouco músculo.

2 comentários:

André 3 de outubro de 2009 10:03  

Uia! Ta melhor que eu que geralmente corro 7 em 60 min. E na esteira porque na rua nao sei calcular isso!
Acho que o principal problema é o impacto. minhas dores musculares acontecem só quando corro. Pedalando nunca tive nada alem de dor na bunda! Estou intercalando. Um dia bike outro esteira. Ninguem é atleta de alta performance mas depois de um tempo a gente se acha, né? Pensa que ja dá pra virar tri-atleta e aí que rolam as lesoes. Até 2016 quem sabe? rsrs

Milene 4 de outubro de 2009 16:03  

Noooosssaaa. Nem conta para as amigas?

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista. Ardida. Gosta de livros, música, Mafalda, São Jorge, sorvete, corrida e bicicleta. Canta sozinha na rua e conta helicópteros no céu.

Nosso Cortiço

Um blog para compartilhar aquilo que nem sempre há pessoas para compartilhar.

Outros cortiços

Quem perde tempo comigo