É ou não é o fim do mundo?

Há uma semana, aqui em Ribeirão Preto, um caminhão sem freio bateu em um carro e matou um bebê de seis meses, às oito horas da manhã, em uma movimentada avenida. A irmã do bebê, de quatro anos, também foi parar no hospital. Durante o acidente, enquanto todos eram socorridos, furtaram a bolsa da mãe de dentro do carro.

Com a bolsa foram levados, além de documentos pessoais, a Certidão de Nascimento do bebê, o que impede a emissão do Atestado de Óbito da criança. A polícia afirmou que durante a aglomeração que se formou no local do acidente, alguém aproveitou para levar os objetos que estavam dentro do veículo.


Segundo a delegada do 4º DP Sílvia Elisa Ruivo Valério Mendosa, em casos como esse é difícil encontrar os objetos. “É um furto de autoria desconhecida. Quem estiver com essa bolsa é que deve colocar a mão na consciência e devolver ao menos os documentos”, disse a delegada.

Como se não bastasse a dor dessa mãe em perder o filho, ela não pode nem amargar o luto, pois precisa correr com toda a burocracia para conseguir o atestado de óbito do bebê. É ou não é o fim do mundo?

2 comentários:

bibiana 19 de novembro de 2010 22:22  

FEr, não estou acreditando nesse caso. Um horror. Credo!

Neto Guido 29 de novembro de 2010 14:11  

Puta que Pariu! Cadê o bom senso? Só o B.O. do furto já basta para o obito, em ultima instancia um juiz resolve o problema dela em horas.
O mais engrtaçado nesta trágica noticia foi a delegada afriamdno que é furto desconhecido...nossa!

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Jornalista. Ardida. Gosta de livros, música, Mafalda, São Jorge, sorvete, corrida e bicicleta. Canta sozinha na rua e conta helicópteros no céu.

Nosso Cortiço

Um blog para compartilhar aquilo que nem sempre há pessoas para compartilhar.

Outros cortiços

Quem perde tempo comigo